Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Política romana

  Otávio Agusto, integrante do Segundo Triunvitario da República romana, encontrou um ambiente explosivo e deu início as grandes transformações políticas que o levaram, no ano de 27 a.C. ao cargo de imperador.
   Entre 27 a.C.  14 d.C. durou o governo de Otávio Augusto, ele conservou o Senado e o Consulado, garantindo o apoio da aristocracia. Entre as princiapais realizações estão:

*diminuir as guerras de conquista, preocupando-se em manter a paz e definir as fronteiras.
*estabelecer uma época de paz e de prosperidade, conhecido como Pax romana.
*criação de um sistema administrativo útil, organizando os governos das províncias, lutando contra corrupção e contratando funcionários de confiança.
*aperfeiçoamento da justiça e organização do correio, garantindo um controle melhor sobre a administração.
  A transição da República ao Império foi realizada não sem grandes conflitos e lutas. A estrutura oligárquica do governo, estabelecida durante a República, mostrou-se no século I incapaz de integrar efetivamente o enorme território conquistado em toda a bacia do Mediterrâneo. A classe dirigente composta de senadores outorgava-se direitos exclusivos sobre a cidadania, a distribuição de impostos e as decisões, excluindo, assim. do poder todo e qualquer segmento populacional de províncias. Estas sofriam os abusos de poder, as confiscações e extorsões dos arrecadores de impostos e embaixadores do Senado romano. 

 Império Romano é a fase da história da  Roma antiga caracterizada por uma forma autocrácia de governo. O Império Romano sucedeu a República Romana  que durou quase 500 anos e tinha sido enfraquecida pelo conflito entre Caio Mário e Sulla e pela guerra civil de Júlio César contra Pompeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário